A A A
Produção Sea Club

Quem não gosta de uma prancha novinha, toda branca ou com a pintura que escolheu?

Não tem programa melhor do que ir em uma fábrica de pranchas e customizar com o shaper sua prancha e projetar seu foguete, definir as medidas, o formato de rabeta, o bloco que vai usar, se é de poliuretano ou isopor, escolher a pintura, o acabamento se vai ser fosco ou polido, escolher sua manta de carbono e etc..

Nessa matéria viemos falar mais sobre laminação e materiais empregados na fabricação da sua prancha.

 

Para começar, você precisa entender que existem quatro sistemas de produção mais comuns e dois mais complexos, são eles:

Sistema convencional :

É a fabricação mais convencional aonde não deixa a perde em qualidade para nenhuma outra, utiliza um bloco de Poliuretano (Arctic Foam Importado) ou (Teccel Nacional), revestido por tecido de fibra de vidro importada de 40z ou 6oz, laminado com resina Poliéster. Há vários anos no mercado do surf, este sistema continua sendo o mais utilizado pela maioria dos surfistas em todo mundo. Tem a produção mais veloz e pode ser customizado de diferentes formas. Aceita diferentes processos de pintura e acabamento. Fazendo um comparativo com outras tecnologias esta é a que menos resiste a choques, devido as propriedades da resina poliéster que se assemelha a um “vidro”.

Sistema EPS:

EPS é a sigla internacional de Poliestireno Expandido, mais conhecido no Brasil como Isopor. Este bloco de EPS é shapeado no mesmo sistema de uma prancha convencional e depois é revestido por tecido de fibra de vidro com resina Epoxy. Pelas características do EPS, que tem em sua composição mais de 90% do volume preenchido de ar, estas pranchas tem uma maior flutuação em comparação a uma prancha convencional, como também, apresentam leveza e excelente desempenho. A resina epóxy também apresenta maior resistência estrutural, o que rende uma maior durabilidade e maior resistência a choques. Sua manutenção deve ser feita somente com resina Epoxy, lembrando que o tempo de cura da resina epoxi dura 24 horas;

Sistema Poli Epoxy:

Consiste na utilização de um bloco convencional PU (Poliuretano - Teccel) revestido com resina Epoxy. Esta prancha apresenta as características parecidas com uma prancha convencional. Porém a utilização da resina Epoxy na laminação atribui uma maior longevidade e flexibilidade, devido a maior resistência estrutural da resina, se comparada a resina poliéster. Ela possui também maior resistência a choques. Permite a confecção de uma prancha leve, resistente e com melhor flexibilidade. Sua manutenção pode ser feita tanto com resina poliéster quanto Epoxy.

Sistema 100% Carbono:

Tecnologia que consiste na utilização de um bloco de EPS (Poliestireno Expandido) de alta densidade, com longarina especial ou sem longarina, revestido com tecido 100% carbono importado, com resina Epoxy. Leveza e resistência inigualável é o resultado dessa combinação de materiais. É uma composição que apresenta um excelente custo-benefício tendo em vista a longevidade do material que pode ser até 5 vezes maior do que uma prancha convencional. Esta tecnologia pode ser utilizada em qualquer modelo de prancha. É bastante eficaz em pranchas Race, pois sua leveza gera uma melhor performance, como também, facilita na hora do transporte. Sua resistência também evita danos as bordas da prancha, que muitas vezes é atingida pelo remo. Sua manutenção deve ser feita somente com resina Epoxy.

Laminação por infusão: 

O método de infusão faz a resina correr de um ponto ao outro através do vácuo. O efeito de vácuo comprime o material ao bloco garantindo que a resina (epoxy) é impregnada na fibra de forma rápida e homogénea, maximizando a resistência da prancha sem prejudicar a sua flexibilidade. O resultado são pranchas mais resistentes e duradouras, que podem ser usadas durante consideravelmente mais tempo até começarem a notar-se os primeiros sinais de uso e degradação. O método de infusão também elimina os excessos de resina, direcionando-os para um contentor selado. A construção torna-se, assim, mais barata e a prancha mais leve. Esta tecnologia confere aos modelos Sea Club uma durabilidade, fluidez e performance superiores às gamas de pranchas convencionais.

Laminação a vácuo:

A prancha é comprimida numa bolsa de nylon com materiais absorventes depois de ter sido laminada tradicionalmente. A pressão causada pelo vácuo comprime as camadas de fibra e resina, reduzindo o peso da prancha e aumentando a sua resistência. Este método suprime o excesso de resina, fazendo com que a prancha tenha somente a quantidade necessária para maximizar a sua resistência. O laminado torna-se, assim, duas vezes mais leve do que numa prancha laminada tradicionalmente. As pranchas laminadas a vácuo são também mais duradouras do que as pranchas laminadas nos 4 primeiros sistemas. A pressão constante do vácuo, impossível de ser atingida no processo manual, torna as fibras mais compactas, deixando a prancha mais dura e consequentemente com maior pressão na onda. O resultado é uma prancha mais resistente sem perder a flexibilidade, comportando-se como um verdadeiro monobloco. Resistência, flexibilidade e fluidez são a finalidade máxima deste processo.

Depois de escolher o sistema de produção da sua prancha ou o método de laminação, você ainda poderá escolher o tipo de sistemas de quilhas que gostaria de colocar. Existem as quilhas fixas, já pouco utilizadas para pranchinhas e as quilhas de encaixe. Nas removíveis existem outros quatro sistemas. As FSC II, as FCS Fusion,as FCS X2 e as Fusion. 

E por ultimo, você precisa entender que existem dois tipos de pintura mais comuns e dois métodos que substituem a pintura e são mais complexos, onde trabalhamos com impressão na manta e o laminado de madeira ou bambu utilizando o sistema de Laminação a vácuo;

Começaremos a falar sobre a pintura automotiva, onde a prancha é pintada de acordo com o grafismo criado com cores vibrantes, utilizamos a tabela de tintas e as cores em CMYK para fazer a cor escolhida. A pintura é feita diretamente sobre o bloco.

Pintura piguimentada:

É a pintura feita na prancha através de pigmentos aplicados durante o processo de laminação (glass) com resina. A diferença da pintura tradicional (automotiva), onde a tinta é aplicada sobre o bloco de isopor, na laminação pigmentada a tinta vai junto com a resina do glass que e é aplicada sobre o tecido de fibra. Neste tipo de pintura acontecem duas fases de acabamento juntas, a laminação (que dá a rigidez à prancha) e a pintura (que faz parte do acabamento estético).

Na laminação pigmentada as cores da prancha permanecem vivas por mais tempo.O diferencial da prancha pigmentada está no visual, já que ficam evidentes as camadas de tinta na superposição de cores e as linhas de acabamento apresentam um estilo mais despojado.

Impressão sobre mantas:

Hoje temos uma tecnologia onde conseguimos imprimir qualquer foto em alta qualidade em manta para laminar sua prancha;Esse processo consiste em uma foto de alta qualidade que imprimimos na manta e laminamos direto no seu bloco.Laminado de madeira ou bambu:Temos um laminado específico para pranchas que o cliente escolhe a parte estética, onde fazemos toda a parte de laminação a vacúo ficando uma prancha bem resistente;

Pin It

Sea Club Shop